Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > A segurança nos Jogos Olímpicos
Início do conteúdo da página

A segurança nos Jogos Olímpicos

Publicado: Terça, 23 de Agosto de 2016, 11h28 | Última atualização em Terça, 23 de Agosto de 2016, 12h16
imagem sem descrição.

Aeroportos de todo Brasil receberam milhares de passageiros, vindo de diversos lugares do mundo, para acompanhar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos – Rio 2016. Além da expectativa e vibração dos torcedores, a segurança é algo que tem contado para o sucesso do evento. Para isso foi montado um forte esquema, com a participação de 88 mil agentes de segurança pública e das Forças Armadas, atuando nos estados, onde acontecem os jogos.

Em 2013, foi criada pelo Exército Brasileiro, por meio da Portaria nº 446/CmtEx, a Assessoria dos Jogos Olímpicos  - AJO, dentro do Comando Militar do Leste, sediado na cidade do Rio de Janeiro, com a missão de integrar as ações do Exército com as do Comitê Organizador e das diversas  agências e órgãos federais, estaduais e municipais.  Desde então, inúmeras ações preparatórias para a defesa e segurança dos Jogos já foram tomadas. Um exemplo são as operações realizadas por meio da Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados – DFPC que atuou em atividades com caráter preventivo e continua tendo resultados satisfatórios na segurança dos Jogos. Todo empenho realizado trará um importante legado para o Exército, para as cidades onde acontecem os jogos e para o Brasil

Dados das Operações

Segundo informações do Centro de Operações de Produtos Controlados (COPCON) da DFPC, foram realizadas pelo Exército em todo território nacional, de forma integrada, mais de 5 operações direcionadas ao grande evento, cerca de 3.000 vistorias, entre elas, 326 autuações. Vale destacar, que todas as operações ocorreram num ambiente de interagência, com o efetivo de mais de 7 mil pessoas envolvidas, com adoção de medidas necessárias, visando garantir um ambiente pacífico e seguro.

Tecnologia

A segurança do evento não conta apenas com a tropa física trabalhando. Além disso, o Exército atua com equipamentos modernos e de tecnologias bastante avançadas, como é o caso do Pacificador, sistema de comando e controle que monitora em tempo real de forma simultânea as ações. Além deste, conta com o Centro de Coordenação de Fiscalização de Explosivos (CCFE), capaz de realizar o acompanhamento permanente. Ambos monitoram todo o Sistema de Fiscalização de Produtos Controlados SisFPC, com capilaridade em todo o território nacional e abrangendo mais de 300 postos, 24 horas por dia/7 dias por semana.

Ação de Segurança

O Plano Estratégico de Segurança Integrada para os Jogos, publicado no Diário Oficial em outubro do ano passado, lista os principais cenários de riscos que causará impacto nas ações de segurança dos Jogos: ações terroristas ou de sabotagem de qualquer natureza; ações violentas praticadas durante manifestações sociais; criminalidade e violência urbana; comprometimento do sistema de mobilidade urbana; comprometimento da saúde coletiva; comprometimento dos serviços essenciais; ataques cibernéticos; fenômenos naturais; além de incidentes e catástrofes.

No projeto, o Plano se estende até o dia 18 de setembro, e envolve o Governo federal, estaduais e municipais. Já o trabalho de fiscalização realizado pelo Exército permanecerá até o final do ano. Tudo para garantir a população e aos visitantes segurança antes, durante e depois do grande evento.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página

Copyright © 2015 - Exército Brasileiro - Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados.
Quartel-General do Exército - Bloco H - 4º Andar - Setor Militar Urbano
Brasília - DF - CEP: 70630-901
Desenvolvimento: Seç TI Gab Cmt Ex
Atualização: Div TI/DFPC (2018)